quinta-feira, 12 de julho de 2018

Diário # 16 - Férias no Campo com as Miúdas



Já estamos em contagem decrescente!
No ano passado estivemos quase para ir para o Camping de Lisboa em Monsanto, porque eu queria muito que as miúdas tivessem essa nova experiência, mas, era a questão das fraldas e a mais nova não comia nada a não ser sopa, por isso, optamos por ir passar as férias na aldeia, na casa que está lá um pouco esquecida, dos avós, e que só costuma ver gente de mês a mês, se tanto. Eu estava um bocado céptica em ir para um sítio onde não há nada para fazer depois, onde não havia máquina de lavar roupa nem fogão xpto, mas fomos, por elas. Compramos uma daquelas piscinas da Intex, uma de 366cm de diâmetro, era mais que suficiente, e a piscina fez toda a diferença. Foi absolutamente, fantástico! Superou a falta das comodidades a que estamos habituados. Preparei-me antes de irmos com um panelão de sopa e esparguete com carne para elas, para os três dias seguintes, porque nem sabia se o fogão funcionaria, e elas comem bem a sopa da mãe e a massa. Acabamos por ficar lá quase uma semana inteira e o fogão dos anos 70 nem precisou de ser usado, porque felizmente tudo se arranjou na mesma. Tivemos algumas dificuldades técnicas apenas nos banhos, uma vez que o cilindro limita a duração da água quente a uns 15 mins, e principalmente porque não havia qualquer pressão da água, dado que vinha dum poço e não da companhia, eu nunca tinha pegado num chuveiro em que se o virasse para o corpo na vertical, a água não seguia em frente mas para o chão, parecia uma torneirinha a pingar, foi o mais difícil, conseguir lavar 3 cabeças bem cabeludas, e tirar o champô todo antes de acabar a água quente, mas, de resto, os dias foram absolutamente fantásticos, animais, natureza, sol, sons da natureza, descanso para os ouvidos, cheiro a ar puro, gatos bebés a passear por todo o lado, um galo a cantar de duas em duas horas, o cão da vizinha sempre atento e os pés sempre de molho dentro de água à espera do fim da digestão para mergulhar o resto do corpo :D O sol foi o aquecedor natural da água da piscina, que enchemos à mangueira, e, para estender as roupas, uma corda com trinta anos a todo o comprimento, uma mesa de ping pong e uma de matrecos, e depois, toda a natureza à nossa volta, montanhas, campos, terra, borboletas, joaninhas, saltitoes, cavalos, vacas, etc etc etc, não se pode pedir melhor. Elas adoraram e nós também claro!
A piscina foi o centro das actividades, o centro do dia, não a largamos, elas mal conseguiram esperar para encher a piscina de água, ainda tinha um cm de água já andavam lá dentro a mergulhar, ou a tentar. Depois ainda tivemos que a mudar de sítio uma vez, esvaziar tudo e voltar a encher porque o terreno não é propriamente plano, mas torta ou direita, elas não queriam saber, desde que tivesse água lá dentro era tudo o que importava!
Estamos ansiosos por voltar, e desta vez, felizmente, já teremos água da companhia e um chuveiro capaz de lavar os cabelos mais rebeldes de todos os tempos! :D

Sem comentários:

Enviar um comentário